©2018 NeuroLiving

  • Diana Luzio Alves

Como responder a falsas acusações (Artigo 2 de 4)

Atualizado: 1 de Abr de 2019



Infelizmente é relativamente comum as pessoas com DA ou outro subtipo de demência proferirem falsas acusações cuidadores familiares e/ou cuidadores formais.


É importante lembrar-se que as lesões no seu cérebro fazem-nas acreditar plenamente em coisas que não são reais. Porém, responder a falsas acusações com lógica e reflexão não funciona e, por essa razão, sugiro algumas respostas para acusações comuns feitas por pessoas com demência.


Este artigo é o 2.º de uma série de 4 que propões respostas eficazes a falsas acusações. Se ainda não leu o 1.º artigo, pare aqui leia-o antes de prosseguir, porque tem informações e dicas que lhe podem ser úteis.





"Está a envenenar-me! Eu não vou comer"


Uma pessoa com demência pode acreditar que a cuidadora está a colocar veneno na sua comida ou bebida, devido a paranoia ou delírios.


Você é a pessoa que melhor conhecer o sénior, portanto utilize as respostas que partilho consigo como ponto de partida para as suas próprias respostas, que devem ser criativas e ajustadas à situação e também à pessoa.


Normalmente é necessário realizar diversas experiências, mas quando começar a ganhar prática com a técnica de validação e redirecionamento, verá que fica cada vez mais fácil.


Respostas sugeridas:


"Eu entendo que está com medo, mas eu quero que saiba que eu nunca deixaria nada de mau (ruim) acontecer consigo. Já tentou este frango? É delicioso. Vamos comer alguns juntos e você pode contar-me mais sobre (um tópico ou hobby que ele gosta)."


Nota:

Enquanto estiver usando esta ou uma resposta calma semelhante, coma a mesma refeição ou dê uma mordida no seu prato para mostrar que é seguro.



Como ajudá-lo a sentir-se mais no controle:


Peça-lhe para se juntar a si na cozinha e “ajudar” a preparar a refeição para que ele possa ver tudo o que a cuidadora está a fazer.


Promova a participação se houver tarefas de culinária com as quais ele possa ajudar e participar.



"Seja o tipo de cuidador(a) que gostaria de ter a cuidar de si". - Lisa G.


...Como sabe, adoro ouvir o que têm para me dizer.


Partilhe comigo questões, reflexões ou opiniões enviando-me um e-mail ou partilhe comigo e também com outros leitores através dos comentários no post do FB deste artigo. Centenas de pessoas fantásticas vêm aqui todas as semanas para procurar informação e motivação, e a suas partilhas podem ajudar outra pessoa a ter um crescimento significativo.


Obrigada por partilhar um pouco de si.




Ainda não recebe os meus artigos na sua caixa de correio eletrónico? Assine a newsletter clicando aqui e mantenha-se sempre atualizada!